Seguidores

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Poesia



(Damáris Lopes)

Poesia , desafeto seria,
ou verso recalque?
Promessa feita
desfeita em saudade.

-Seria um gesto tolo?

Alguém debruça na janela
distraído vela olhar morto,
desengonçado,
coitado, anda à toa.

-Seria isto poesia tola?

Amor que dói fundo
desses: - se dane o mundo,
mas vou até o fim.

-Seria isto verso estopim?

Poesia é coisa alegre,
destas que consegue
desfolhar rosa e mulher,
margarida do bem-me-quer.

-Seria poesia, orgia?

Puro pranto, ou rebelia.
Não! Poesia, tem idade
é coisa antiga, serenidade.
Gerou-se no primeiro talento
Nasceu bem antes do tempo.
Com o sol, vingou a primogênita
-Bom dia! Fez-se o primeiro verso.

-Seria poesia um cumprimento?

Ou inverso, introspecção.
Sei não – dia destes
provoco encontro
tolices da poesia
e sua inútil definição.

4 comentários:

teresapraia disse...

Linda Damaris.....
Sabe....também já pensei na possibilidade da poesia ter nascido antes do tempo....
quem sabe tenha sido até ela ( a poesia) que deu Sua alma à ele....(ao tempo)....

Adorei teu cantinho....virei mais vezes...já o coloquei nos meus favoritos.....
beijo!

Carmen Regina Dias disse...

Amor que dói fundo
desses: - se dane o mundo,
mas vou até o fim.

-Seria isto verso estopim?

estrofe rara, jóia de poesia...

JL Santos disse...

Amei.
Roubei pra postar lá na comuna tribal.
Bjs.

Roberto Policiano disse...

O tempo da poesia? É o mesmo tempo do amor, da dor, da alegria, da tristeza, ou seja, da vida. Ela nasce de uma lágrima, de um olhar, de um gesto, de uma palavra, de um sentimento... pensando bem, a poesia pode nascer em qualquer lugar, onde e quando menos se espera. A poesia pode nascer do sentimento do(a) próprio(a) poeta(isa), ou dos sentimentos que ele(a) observa em outro. Poesia é o que você, Damáris, sabe fazer muito bem! Foi uma surpresa agradável conhecer seus poemas. Continue! Parabéns.
Abraço