Seguidores

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Bonsai



(Damáris Lopes)

Imensurável e mínimo teu encanto,
raiz entranhada na rala terra,
beleza essa, por si não encerra
primoroso pacto, natural da arte.
Antes, virtude plena,vala pequena
por todos os cantos.
E cedo, e sempre, e tarde,
verde artesã da paciência,
eleita maior do punho plantador.
Detalhes pequenos, tão pequenos
de quem planta grande amor.

2 comentários:

Carmen Regina Dias disse...

Admirável, D amaris!
POesia linda aos bonsais direcionada,
toca-me, sinto-me ele, tão vigoroso
tronco, verdejante folhagem,
toque de artista
a par com teus versos.

Bruno Bezerra disse...

Amei essa poesia, ontem lá em casa chegou um novo morador, um bonsai de romã, essa poesia me fez tão bem quanto o bonsai que hoje habita meu lar.